Por Anna Cruz

Algumas conquistas têm marcos bem definidos. Eu obviamente sei o dia em que nasceram minhas filhas, sei a partir de que mês balbuciaram as primeiras sílabas e com que idade se tornaram seres falantes. Mas não sei quando nasceram como leitoras.Juju

A mais velha já é uma leitora autônoma, lê sozinha, sem auxílios, reconhece seus autores e gêneros favoritos. Muito maravilhoso. A pequenina não decodifica letrinhas, acabou de completar seus 3 anos, mas seria muito injusto dizer que ela não é uma leitora. Realizo a leitura em voz alta, ela acompanha, adianta algum diálogo que já saiba de cor, identifica quem ilustrou o livro: é uma leitora.leitora

 

Não lembro quando comecei a ler para as garotas, só sei que foi cedo. Conheço pessoas que leem grandes clássicos para seus bebês, mas não fui dessas. Minha tática (e aqui é uma questão tão pessoal quanto o tanto de tempero que se põe – ou não – na papinha) era tornar o livro um elemento da paisagem do brincar: livro de pano, livro de banho ou cartonado, para a meninada manusear à vontade e meu coração de mãe livrólotra não sair pela boca porque carambaelaacaboudemordermeulivroautografadopeloilanbrenman! Respiro fundo.

Então, para mim, o primeiro passo é apresentar o livro como objeto. Felizmente, o tempo em que os livros para bebês eram aqueles de apresentação horrorosa e grande concentração de erros por folha (sempre me perguntava: como deixaram passar tantas falhas de pontuação em um livro que só conta com, sei lá, doze frases?) já foi superado e hoje existem opções fantásticas para esse público. Silvana Rando, por exemplo, ilustradora maravilhosa, tem livrinhos do seu personagem mais famoso, o Gildo, em versões de banho e cartonados (Brinque Book, a partir de R$24,90); Lane Smith também lançou o “É um livrinho” (Companhia das Letras, a partir de R$15) para mãozinhas ainda não hábeis.Capa Gildo.indd
Não sei quando nasce um leitor, mas sei que nós, mamães, temos que preparar o “enxoval”, por isso, dê uma voltinha nas livrarias reais ou virtuais e escolha as “peças”.

 

Destacada ANNAAnna Cruz é mãe da M.L. e da C., filha da Vera e do Orlando, da Ana Maria Machado e do Ziraldo, da Ruth Rocha e do Sidónio Muralha, da Eva Furnari e do Roald Dahl, da Silvana Rando e do Michael Ende, da Sylvia Orthof e do Ilan Brenman. Conhecida também por “Dona Sobre”, por conta do instagram.com/sobreissoeaquilo

Compartilhar: