Por Anna Cruz

Mãe é sempre mãe de primeira viagem, não importa quantos filhos tenha ou quais suas idades. Cada filho é uma viagem em si e cada fase é uma escala, mais ou menos turbulenta, com acúmulo de bagagem e, às vezes, até um desconfortável excesso de peso. O bom é que a jornada, mesmo com todo o “aperreio”, é gratificante.

Foto huffingtonpost.com

Foto huffingtonpost.com

Com crianças pequenas, um ponto crítico nesse passeio pela vida é o estabelecimento de limites. Colocar o cinto de segurança é sempre muito difícil – e não falo apenas metaforicamente, não. Tem quem ache que o filho está mais protegido mesmo é no colo, agarradinho. Tem quem evite cintos porque, né, apertam, machucam… Tem quem tenha ideias muito inovadoras e advogue que menino seguro é aquele que senta embaixo do banco, segurando um copo de vidro como amuleto e com uma bala “Soft” na boca. E tem ainda a imensa massa de pais que tenta, tenta mesmo, colocar o cinto, mas a pequena criatura grita tanto, chora tanto, esperneia tanto, que rápidos cálculos mentais informam que o benefício do cinto nem é lá tão grande assim, deixa, esquece pelamordedeus, acabou o meu combustível.

Para quem se identificou com quaisquer desses grupos (exceto, talvez, o de pais inventivos), eu sugiro a leitura de “A Pequena Ditadora” (Luciano Trigo, ed. Galerinha Record), um livrinho para ler com os filhos, sabendo que até os mais pequeninos entenderão a mensagem.

 

A pequena ditadora

 

Valentina (ou seria Valentona?) é mandona, reclamona, quer tudo para agora, não admite dividir seus brinquedos e se parece muito com várias crianças que todos nós conhecemos. A história segue mostrando os mandos e desmandos com tal clareza, que – juro –  percebi minha filhinha rir de constrangimento e se compadecer do pai que persistia na – aqui figurativa – colocação do cinto.

É… Vamos tentar o cinto. Criar filhos não é tarefa fácil, não é coisa para amadores – mas como não há formas de “profissionalização”, somos todos condenados ao amadorismo, ainda que sejamos muito amavelmente dedicados, comprometidos mais com o acerto do que com o erro ou a negligência.

 

Criancas cinto

 

Destacada ANNAAnna Cruz é mãe da M.L. e da C., filha da Vera e do Orlando, da Ana Maria Machado e do Ziraldo, da Ruth Rocha e do Sidónio Muralha, da Eva Furnari e do Roald Dahl, da Silvana Rando e do Michael Ende, da Sylvia Orthof e do Ilan Brenman. Conhecida também por “Dona Sobre”, por conta do instagram.com/sobreissoeaquilo

Compartilhar: