Por Ana Paula Rodrigues

É muito comum pais e mães sentirem “culpa” pelo que julgam “faltar” aos filhos, por uma intervenção/educativa feita, por um “não” bem dito, entre outros… Este sentimento pode ser um grande perigo para a condução da educação do seu filho.

O que percebe-se é que, na tentativa de “compensar” tudo isso, pais e mães tendem a adotarem posturas inadequadas, tais como, encher de presentes, fazer trocas e barganhas, permitir uma convivência sem regras nem limites, pois compreendem que, assim, minimizam o “saldo devedor”. Cuidado!

Foto gawker.com

Foto gawker.com

 

Mesmo que você tente disfarçar, usar recompensas sem dizer claramente sobre elas ou até mesmo confessar essa tal culpa, muitas vezes este sentimento que atormenta a consciência dos grandinhos comunica muito aos pequenos. Eles compreendem, pelo mal estar que fica instalado no ar, que podem usar este artifício como chantagem e até se “vitimarem” para conseguir o que querem. Começam a surgir choros sem motivos aparentes, birras, sono turbulento, irritabilidade, que além de reforçar essa culpa infundada, grande parte das vezes gera concessões às crianças que não deveriam acontecer.

 

Foto cewekcuek.com

Foto cewekcuek.com

É fato que pais e mães precisam cuidar, da melhor maneira possível, do tempo que passam com seus filhos, dos limites que têm que promover e fazer valer, dos estímulos e construção de hábitos que precisam ser plantados em casa! Mas não pode-se perder de vista a dimensão do que as crianças fazem com nossos exemplos e ações. Elas são sábias, percebem as entrelinhas e têm mais “expertise” do que podemos imaginar… Devemos analisar e rever o que podemos melhorar como responsáveis pela educação e formação da criança, sempre!

Mas,  lembrem-se: Na maioria das vezes, pais e mães erram tentando acertar! Portanto, reflitam e se necessário, mudem a postura. Mas NUNCA alimentem a culpa, pois ela pode ser um perigo.

 

500

 

Ana Paula

Ana Paula Alves Rodrigues é Psicóloga Infantil, estudiosa da Psicanálise e especialista em Educação, Psicologia e Psicopedagogia. Trabalha em consultório particular com Crianças (Clínica Infantil), além de fazer formação de professores, assessoria a educadores e a pais e mães. É autora do Instagram  @ana_escuta_a_infancia onde se esforça para provocar reflexões sobre o universo infantil e suas múltiplas possibilidades, pautadas na concepção de “infância assistida” e suas linguagens.

 

Ana Paula Alves Rodrigues
ana.escutaainfancia@hotmail.com
+055 (31) 99413-1079

Psicologia Clínica Infantil
Psicopedagogia
Formação de Professores Ed. Infantil

Compartilhar: