Por Carol Braga

Oba!! Muitas famílias aproveitam esse período para viajar. E nessa época sempre ouço perguntas do tipo:  o que fazer com as crianças dentro do carro? E se a viagem for longa e cansativa?

Em primeiro lugar eu digo que não é necessário apelar para os tablets ou brinquedos eletrônicos de cara.

Óbvio que usá-los com moderação não tem contraindicação, mas vamos combinar que deixar os filhos entregues (por horas seguidas) durante toda a viagem com um tablet na mão é no mínimo falta de amor aos filhos e preguiça de ser feliz ao lado das crianças, né? E pode apostar que existe sim alegria sem bateria.

 

v2

 

Nesse post  (que vem carregado de saudade e nostalgia) separei algumas ideias que meus pais e irmãos mais velhos brincavam comigo dentro do carro quando eu era criança e outras que faço ainda hoje com meu filho.

E de brinde ainda coloquei algumas ideias que pesquisei nos livros de brincadeiras que tenho por aqui. Todas testadas e aprovadas. E posso garantir: já fiz viagens longas com crianças e com essas brincadeiras elas nem lembraram que o Ipad existia.

 

6 dicas para entreter as crianças durante a viagem de férias:

 

1- Observem a paisagem

Tem coisa mais gostosa que observar as montanhas, campos, nuvens e os túneis que aparecem pela estrada a fora?O meu filho Miguel (4 anos) fica doido cada vez que atravessamos um túnel.

✅Brincamos com ele nessa hora, como se estivéssemos em uma montanha russa, todo mundo levanta as mãos para cima e fecha os olhos (menos quem está dirigindo né, óbvio). E só vale abrir os olhos quando o túnel terminar.

✅ Observar o formato das nuvens e descobrir desenhos nelas também é diversão garantida.

✅ Se estiver chovendo, escutamos o barulho da chuva e observamos tudo que ela molha.

✅ Lemos livros, contamos histórias, observamos o que encontramos em comum nas páginas dos livros e na estrada. Conversamos a viagem inteira e estreitamos nossos vínculos.

 

M1

 

Lembro quando era pequena e meus pais faziam o mesmo comigo e com os meus irmãos. Não existia Ipads e celulares. O diálogo era o grande protagonista de nossas longas viagens. Brincávamos com as cores dos carros que passavam.

Cada um de nós escolhia uma cor de carro e o primeiro que ultrapassasse o nosso com a cor escolhida por alguém de nós ganhava a brincadeira. E olha que naquele tempo a quantidade de carro nas estradas era bem menor, o que aumentava a nossa ansiedade.

Meus pais apontavam e nomeavam as coisas que apareciam no caminho: “olha a vaca” ou “vejam, uma ponte”. E ainda me lembro que toda vez que passávamos por algum Obelisco (monumento arquitetônico), meu pai nos beliscava carinhosamente e gritava: “obelisco, obelisco”. A gente nem sabia o que aquilo significava, mas caíamos na gargalhada.

 

v3

 

✅ Aponte e nomeie as coisas que encontrarem no caminho também, assim vamos aumentando o repertório de palavras de nossos pequenos.

✅ Faça com que a criança observe a paisagem das estradas e conversem sobre tudo o que encontrarem de diferente do lugar onde vivem.

Tenho certeza que assim como eu e você, quando elas crescerem terão boas histórias para contar para os filhos sobre as viagens que faziam em família.

 

 

2- Escala musical

Aproveitando o gancho das músicas, essa brincadeira é perfeita para brincar com crianças a partir de 5 anos ou que estejam na fase da alfabetização.

✅ Você vai precisar de 7 pedaços de papel, cada um com uma nota musical escrita.

✅ Anote em cada um dos sete pedaços de papel uma nota da escala musical (dó, ré, mi, fá, sol, lá, si e dó).

✅ Dobre bem os papéis e coloque-os em uma caixinha ou saquinho.

✅ Um participante pega um papelzinho do saco e mostra o que está escrito nele.

✅ Um por um, os participantes devem dizer uma palavra que comece com essas letras. Por exemplo, se sair “mi”, poderá dizer milho, se sair “fá”, fada, e assim por diante.

✅ O jogador que não souber responder, repetir uma palavra ou errar fica de fora uma rodada.

 

v5

 

3- Jogo das palavras

Essa brincadeira sempre rende boas gargalhadas!

✅ Sorteie a ordem dos jogadores.

✅ O primeiro, diz uma palavra qualquer.

✅O segundo deve dizer rapidamente uma palavra relacionada com a anterior. Por exemplo, se o primeiro disse “colher”, o segundo pode dizer “comida” ou “cozinha”.

✅ E assim segue, com cada jogador na sua vez.

✅ No final de cada rodada, compare a primeira palavra e a última e veja que relação elas de fato têm.

 

v6

4- Jogo do caminho

✅ Escolham uma pessoa para ser o “guia”.

✅ Esse jogador deverá imaginar um lugar conhecido por todos e descrever qual o caminho para chegar lá.

✅ Saindo da casa em que estão até chegar na piscina, por exemplo.

✅ Ao terminar a descrição, o guia pergunta se alguém sabe onde eles chegaram.

✅ Para descobrir, todos podem fazer perguntas ao guia, que só poderá responder “sim” ou “não”.

✅Quem adivinhar o lugar passará a ser o guia.

 

 

v11

 

5- Bingo de placas

✅ Antes de começar a viagem, prepare umas cartelas (como as do jogo de bingo) com nove números de duas casas cada um. Exemplo: 15, 27, 51. Cuide para não ter duas cartelas iguais.

✅ Quando fizer uma parada na estrada, distribua uma cartela e um lápis para cada participante.

✅ Sorteie o “líder” do jogo. Esse deve ficar atento as placas dos carros que passam para cantar, aos pares, os números vistos. Por exemplo, se passar um carro com a placa LUC – 2861, o líder deve cantar os números 28 e 61, mas não o 86, que está no meio.

✅ Os jogadores, então, vão riscando de suas cartelas os números cantados.

✅ Ganha quem riscar primeiro todos os números da cartela.

 

v9

 

6- Músicas

As músicas eram outro ponto alto das minhas viagens em família. As fitas tocavam sem parar (lado A e lado B). E quando elas enroscavam eu adorava desenrolar o fio com ajuda de uma caneta (estou entregando demais a minha idade nesse post né?). Cantávamos juntos, bem alto e dávamos boas risadas.

 

v4

 

Outras vezes chorávamos com as histórias tristes que as músicas de João Mineiro e Marciano (que meu pai gostava de ouvir) contavam. Mas tudo isso também deixou muita saudade.

Acho que é por isso que hoje, quando entro dentro do carro a primeira coisa que faço é ligar o rádio. E talvez por isso também, Miguel acaba de sentar em sua cadeirinha e já nos diz: “muca mamãe”.

✅  Pensando nisso, antes de sair de casa já selecionamos nossos CDS preferidos (e não precisa ser só música infantil não). Estimule seu filho a ouvir aquilo que você gosta também, capriche na playlist. Não se prenda na galinha pintadinha. Ofereça música de boa qualidade.  Mas faça com que a criança ouça (assistir é diferente de ouvir).

✅  Desperte os sentidos da criança. E deixando de lado qualquer justificativa pedagógica, vamos combinar que ouvir música é uma delícia e que, antes de qualquer coisa, a música é fonte de prazer, diverte, alegra, empolga (quando ouvimos bem alto) e relaxa quando precisa.

Muitas vezes Miguel adormece no carro ouvindo uma música.

Lembre-se: você já foi criança também. E muito provavelmente você é do tempo das mães mais criativas que já existiram: as mães Pré Era Digital, as nossas mães!

Todos nós acabamos de um jeito ou de outro, passando de geração em geração os nossos conhecimentos. Por isso, resgate suas memórias de infância e ensine as brincadeiras do seu tempo de criança para seus filhos. Se estiver difícil lembrar, eu dou uma forcinha!

Boas férias e bom divertimento!

 

Carol 2

Carol Braga Ferraz é mineira de nascimento e criação, campineira por “adoção”, casada, mãe do Miguel. É pedagoga de formação e como uma grande amiga gosta de dizer, “publicitária de coração”. Atualmente trabalha em sala de aula com crianças da Educação Infantil e promove Encontros Brincantes na cidade de Campinas e região, com o intuito de oferecer repertório de brincadeiras de qualidade aos pais e atividades sensoriais que estimulem os sentidos das crianças de 6 meses a 6 anos, favorecendo o desenvolvimento infantil. Seu quintal está sempre de portões abertos lá no  instagram.com/conversadequintal/   e no  facebook.com/conversadequintal/

 

Compartilhar: